PDG decide pedir recuperação judicial

Por Valor Econômico

SÃO PAULO ­- A PDG Realty informou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que vai protocolar nesta quarta­feira (22) pedido de recuperação judicial. A recuperação reúne dívidas de R$ 7,6 bilhões da holding e de cerca de 510 sociedades de propósito específico (SPEs), segundo o Valor apurou. Procurada, a PDG não comentou o assunto.

Recorrer à recuperação judicial foi a saída para o gargalo de recursos resultante do acordo de reestruturação financeira fechado com os principais credores — Banco do Brasil (BB), Bradesco, Caixa Econômica Federal (CEF) e Itaú Unibanco — com o Votorantim não ter funcionado como se esperava.

Com a piora dos indicadores econômicos e a consequente alta dos distratos, os parâmetros projetados pela PDG no fechamento do acordo não foram alcançados.

A PDG informou à CVM que a recuperação judicial possibilita manter suas atividades e preservar o caixa da companhia e das controladas. A recuperação judicial foi também a forma encontrada pela PDG para coordenar todos os envolvidos no processo com prazos definidos.

A incorporadora informou que “envidará seus máximos esforços para preservar suas atividades comerciais e operacionais e cumprir compromissos com clientes”.

A PDG Securitizadora também entrará em recuperação judicial. No documento enviado à CVM, a PDG Realty informou que isso se deve ao fato de o ajuizamento resultar no vencimento antecipado das operações financeiras do grupo, incluindo a securitizadora.

Em novembro, a PDG contratou a assessoria financeira da RK Partners e deu início a uma nova rodada de negociações com seus principais credores para reestruturação financeira e destravamento das linhas de financiamento aos empreendimentos imobiliários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *