GVO Aprova Plano de Recuperação Extrajudicial Para Renegociar Dívidas

Por O Regional

O Grupo Virgolino de Oliveira (GVO) aprovou na última quinta-feira (23), um plano de recuperação extrajudicial para renegociar dívidas. O valor seria em torno de US$ 760 milhões com os credores, conforme informações do site Brasil Agro que tem base entrevista do Broadcast Agro. A quantia seria para pagamento dos credores de ‘bonds’ emitidos pela companhia, além de dívidas de pré-pagamento de exportações.
A assembleia extraordinária foi realizada na manhã de quinta-feira, quando acionistas da empresa, que tem quatro usinas, uma delas inclusive em Ariranha, avaliaram a proposta. Só ficou de fora o empresário Hermelindo Ruete, que preferiu não votar, de acordo com a empresa.
O acordo, que foi previamente negociado com um grupo significativo de credores contempla a reestruturação do passivo em dez anos, com carência de três anos. O relato foi do diretor presidente do GVO, Joamir Alves. “Serão emitidos novos títulos e realizados novos acordos de pré-pagamento de exportação. A reestruturação envolve boa parte da dívida da companhia com esses papéis, um total de US$ 835 milhões”, consta na publicação do site Brasil Agro.
Além dessa renegociação, o plano de recuperação extrajudicial inclui como garantias de que os valores serão pagos, a alienação fiduciária das ações da companhia no Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) e a hipoteca da Usina Monções, que fica na cidade que leva o mesmo nome da usina. Para se ter uma ideia, as quatro usinas da companhia estão processando cana-de-açúcar e a expectativa é que a moagem chegue a 6,5 milhões de toneladas na atual safra que só termina no ano que vem.