Casa de câmbio de criptomoedas da Coreia do Sul pede falência

Por Valor Econômico

SÃO PAULO – Uma casa de câmbio de criptomoedas da Coreia do Sul pediu falência nesta terça-feira (19), depois de sofrer o seu segundo ataque cibernético em oito meses e perder uma grande parte das suas reservas em moeda virtual.

A Yapian, companhia que opera a casa de câmbios Youbit, em Seul, suspendeu as negociações em criptomoedas e entrou com um pedido de falência depois que os seus sistemas foram hackeados na madrugada desta terça-feira. A casa de câmbio negocia 10 moedas virtuais, incluindo o bitcoin e o ethereum.

A companhia disse, em nota, que na última invasão perdeu 17% dos seus ativos. A companhia não especificou quais foram os tipos de moedas que foram roubadas ou o valor das perdas. O ataque anterior, em abril, também resultou em perdas nas suas reservas

. Os cliente com moedas digitais em suas contas foram informados nesta terça-feira pela Youbit que podem retirar cerca de 75% das suas moedas virtuais no momento. O restante será retornado aos clientes depois que a companhia concluir o processo de falência, disse.

A Coreia do Sul se tornou recentemente um importante centro de negociações em bitcoin e outras criptomoedas, atraindo muitos investidores de varejo ao mercado. A disparada nos volumes atraiu a atenção do governo sul-coreano, que propôs medidas na semana passada para limitar a especulação. Os reguladores do país também multaram a BTC Korea.Com Co., a operadora de uma grande casa de câmbio de criptomoedas, por vazar as informações pessoais de milhares de usuários depois de uma invasão eletrônica neste ano.

A segurança permanece sendo uma das questões mais críticas para esse mercado. No começo do mês, mais de US$ 70 milhões em bitcoins foram roubados de um serviço de produção de criptomoedas chamada NiceHash, depois de uma brecha de segurança. A companhia interrompeu as atividades há mais de uma semana e permanece fora de operação.

Ainda assim, o preço do bitcoin disparou neste ano e dá poucos sinais de que pode perder fôlego. A moeda opera em baixa de cerca de 5,5% nesta terça-feira, a US$ 17.880,00, mas ainda opera muito acima dos cerca dos US$ 1.000, sua cotação no começo de 2017.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *