Empresas em recuperação judicial não têm conseguido no Judiciário ampliar os prazos de 180 dias para suspensão das ações de cobrança (execuções) e de 60 dias para a apresentação do plano de reestruturação, com base no novo Código de Processo Civil (CPC). Para magistrados, não seria possível a aplicação do artigo 219 da norma, que determina a contagem por dias úteis, em vez de dias corridos.

RIO – A Samarco já tem um pedido de recuperação judicial pronto na gaveta para ser protocolado caso seus credores resolvam pressioná-la, apurou o ‘Broadcast’, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. Sem operar desde novembro de 2015, em decorrência do rompimento da barragem de Fundão no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana (MG), a sociedade entre as mineradoras Vale e BHP Billiton tem deixado de honrar compromissos com os detentores de bônus emitidos no exterior.

Segundo fonte do setor, o caixa da companhia está praticamente zerado e a empresa tem recorrido a empréstimos das sócias para sobreviver. Diante disso, Vale e BHP estariam na lista de credores da Samarco em caso de uma recuperação judicial. O Broadcast apurou que o pedido já foi redigido pelos advogados da Samarco e teve o aval de representantes das controladoras.

Por: Brasil Agro

O Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio da 5ª Vara Cível da Comarca de Dourados, determinou a data da assembleia geral de credores da Usina São Fernando.

A reunião acontecerá no dia 17 de novembro de 2016, às 9h, no Cerrado Brasil, localizado na Avenida Albino Sotolani, nº. 2480, em Dourados. Na data, a EXM Partners, consultoria responsável pelo plano recuperação judicial da empresa, conduzirá a apresentação a proposta e sua respectiva votação.

Caso necessário, a segunda convocação já tem data definida, 1º de dezembro de 2016, no mesmo horário e local. Neste plano de recuperação judicial, são requentes as empresas São Fernando Açúcar e Álcool Ltda., São Fernando Energia I Ltda., São Fernando Energia II Ltda., São Marcos Energia e Participações Ltda., São Pio Empreendimentos Participações Ltda. e Vinicius Coutinho Consultoria e Perícia S/A Ltda. (Agora MS, 15/10/16)

Por Canal Online

Os desembargadores da 4ª Seção Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Mato Grosso do Sul (TJ-MS) negaram um mandado de segurança que impedia a Usina São Fernando de realizar uma assembleia geral de credores para tratar de seu plano de recuperação judicial. A empresa, que tem dívidas de quase R$ 1,1 bilhão, pertence a holdings controladas pelos filhos do pecuarista José Carlos Bumlai, preso no âmbito da Operação Lava-Jato.
O mandado havia sido apresentado pelo BNP Paribas, um dos principais credores da companhia. O recurso impediu que a assembleia marcada para 10 de março fosse realizada. O banco alegava que a usina não havia apresentado os documentos contábeis e financeiros necessários para a análise de sua viabilidade econômica. O mandado já havia sido negado pelo juiz de primeira instância Jonas Hass Silva Junior, da 5ª Vara Cível de Dourados, Mato Grosso do Sul.
A partir do momento em que for notificado da decisão tomada pelos desembargaadores do TJ-JS, o juiz poderá finalmente marcar uma nova data para a realização da assembleia de credores, tendo em vista que a situação da São Fernando já é delicada.
A usina já recebeu pedidos de falência de parte de credores e da própria administradora judicial, a VC Consultoria e Perícia. Pedro Coutinho, sócio da administradora, avalia que os desembargadores preferiram deixar com os credores a decisão sobre a situação da empresa, mas acredita que o plano de recuperação não será aceito na assembleia porque os bancos não estão propensos a aceitar as propostas em pauta.
O plano da São Fernando é criar uma Unidade Produtiva Isolada (UPI) que inclua a usina de Dourados e os ativos biológicos (lavoura de cana) e submetê-la a uma venda judicial, geralmente realizada por meio de leilão. A usina contratou a consultoria Exm Partners para levantar o valor dos ativos que oiden ser colocados à venda.

Por Alecrim Vip

Na manhã dessa terça-feira (04/10), a Amcham Ribeirão Preto reuniu proprietários e gestores de pequenas e médias empresas para um Encontro de Empreendedores. O sócio-fundador da Exm Partners, Angelo Guerra Netto, foi convidado para liderar o bate-papo sobre o tema “Gestão Financeira para PME”.
Com parceria da Algar Telecom, o encontro, exclusivo para associados, foi realizado das 8h30 às 11 horas, no Centro Empresarial Iguatemi. Ao todo, participaram cerca de 20 empresários. O foco foi promover uma troca de experiências entre os participantes, a fim de chegar às melhores práticas para solucionar problemas do dia a dia e ter um planejamento estratégico eficaz.

Por: Valor Econômico

Os desembargadores da 4ª Seção Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Mato Grosso do Sul (TJ-MS) negaram um mandado de segurança que impedia a Usina São Fernando de realizar uma assembleia geral de credores para tratar de seu plano de recuperação judicial. A empresa, que tem dívidas de quase R$ 1,1 bilhão, pertence a holdings controladas pelos filhos do pecuarista José Carlos Bumlai, preso no âmbito da Operação Lava-Jato.

O mandado havia sido apresentado pelo BNP Paribas, um dos principais credores da companhia. O recurso impediu que a assembleia marcada para 10 de março fosse realizada. O banco alegava que a usina não havia apresentado os documentos contábeis e financeiros necessários para a análise de sua viabilidade econômica. O mandado já havia sido negado pelo juiz de primeira instância Jonas Hass Silva Junior, da 5ª Vara Cível de Dourados, Mato Grosso do Sul.

A partir do momento em que for notificado da decisão tomada pelos desembargadores do TJ-MS, o juiz poderá finalmente marcar uma nova data para a realização da assembleia de credores, tendo em vista que a situação da São Fernando já é delicada.

A usina já recebeu pedidos de falência de parte de credores e da própria administradora judicial, a VC Consultoria e Perícia. Pedro Coutinho, sócio da administradora, avalia que os desembargadores preferiram deixar com os credores a decisão sobre a situação da empresa, mas acredita que o plano de recuperação não será aceito na assembleia porque os bancos não estão propensos a aceitar as propostas em pauta.

O plano da São Fernando é criar uma Unidade Produtiva Isolada (UPI) que inclua a usina de Dourados e os ativos biológicos (lavoura de cana) e submetê-la a uma venda judicial – geralmente, realizada por meio de leilão. A usina contratou a consultoria EXM Partners para levantar o valor dos ativos que podem ser colocados à venda.